• Faculdade

    Quadro de horário para baixar!

    Queridos quarenteners!!

    Hoje acordei inspirada em transformar nossas rotinas. torná-las mais leves em meio a tantas incertezas nessa quarentena; Por isso, assim como já havia feito anos atrás ( nesse post aqui), criei quadros digitais que podem ou não serem impressos para uso de vocês! A ideia é conseguir unir organização com criatividade…e um design bem legal! Tentei diversificar as cores e estilos, esperando que um deles te agrade. 

    Ademais, vocês podem preenchê-los com os horários das aulas, ou momentos destinados a lazer, exercícios, estudos diários…semanalmente! E caso utilize algum aparelho digital, tem a opção de preencher com canetinhas – fica lindo também!! Usem da criatividade de vocês, o importante é conseguir manter o foco e se sentir bem com essa nova rotina em isolamento. 

    Espero que gostem e se quiserem, ao baixar, me marca no instagram ( @coralrosado_) ou com a hashtag #kaleartes que com toda certeza irei curtir e compartilhar! Fiquem em casa e se protejam, pois saúde é algo muito valioso…

    O que querem ver por aqui? Deixem nos comentários! 

  • Comportamento,  Faculdade

    Diário da Quarentena #1 – Amantes de rotina

    Queridos leitores / quarenteners,

    Nem preciso dizer que estamos vivenciando uma realidade atípica, a qual, acredito eu, tem nos levado a momentos de reflexão sobre nossas vidas, prioridades, comportamentos…e mais, vejo esta transformação pós pandemia, seja no fato da maior preocupação com a higiene ou na preservação de momentos com as pessoas que amamos. Tudo vai mudar. Ou pelo menos, nós mesmos vamos. Eu vou.

    Por estarmos isolados em casa, a maioria tem descoberto dilemas e anseios típicos de uma vida solitária. A quarentena tem perturbado a sanidade e o coração de muita gente, inclusive, a mim mesma. Eu, que sempre fui muito caseira, estou sentindo falta da convivência e principalmente, da rotina.  Falando em rotina,  pelo menos para mim, é sinônimo de paz interior. Ter um planejamento das minhas semanas e em como irei distribuir meu tempo é uma sensação de controle que particularmente, eu aprecio. Isso porque, organizando meu tempo, sinto que as coisas fluem mais e não me sinto tão pressionada com os afazeres pois consigo ver, nitidamente, que tenho tempo para fazer tudo! ( o lance é só não dar chance para a preguiça reinar…).

    A meta era manter um ritmo bom de estudos – pelos menos não jogar tudo para o ar. E devo decepcionar vocês, mas só durou nas primeiras semanas. Vendo que não estava rendendo, optei por curtir ( do jeito que consegui) minha folga…inclusive, por ter descansado o cérebro de tanta informação da faculdade, hoje, consigo sentir falta dela. Na quarentena, minhas férias do meio do ano foram adiantadas, então sim, eu estava em férias durante estes dias de isolamento. Se por uma lado, para a vida acadêmica é ótimo, visto que  não haverá atrasos da minha formação ( pelos menos, não a primeiro momento). Por outro, quebrou totalmente a vibe de estudos que praticamente todo mundo construiu nesse período. Não tem jeito, estudar em casa – ou melhor, somente em casa – é uma luta diária e constante contra a procrastinação. Sem contar que a maioria das pessoas que teve que se adaptar ao “home office” tem lidado com a dificuldade de separar o momento de produzir e relaxar.

    Agora que minhas aulas vão retornar, via EAD, temo que estas preocupações e dilemas vão se tornar uma realidade. É preciso reforçar, claro, o privilégio que é poder estar em casa. Isolar-se da contaminação e proteger o nosso bem mais valioso, a saúde. Teremos todos que aprender a trabalhar e estudar em casa- no conforto do nosso lar.  Por isso, pensando em como me motivar para essa nova rotina que me aguarda… separei alguns tópicos que fazem do estudo/trabalho em casa serem legais e benéficos! Espero que de alguma forma, ajude vocês a se motivarem também e passarem a enxergar o lado bom nessa vida na quarentena ( sempre tem algo de bom).

    ASSISTIR AULAS NO CONFORTO DE CASA

    Tem coisa melhor que simplesmente acordar e não ter que se apressar em se arrumar e tomar um bom café da manhã? Sem contar que não ter que enfrentar trânsitos ou estresses para ir para faculdade são ótimos benefícios. Sem contar o conforto de poder escolher o cômodo e a “cadeira” nos quais iremos assistir nossas aulas. De preferência opte por um ambiente calmo, confortável e que, nesse contexto, tenha uma conexão com o wi-fi mais estável.  Fora isso, seja no sofá, na cama ou na bancada de estudos, o importante é marcar presença na aula! 

    MAIS TEMPO LIVRE (OU NÃO)

    É fato que não ter que ir e voltar da faculdade, além do que mencionei, ainda poupa muito TEMPO do seu dia a dia. Fora que não ter que acordar “tão cedo” nos acrescenta mais horinhas de sono e isso não tem preço! é vida! ( literalmente viu?) Todavia, mais tempo é obvio que teremos, o lance agora é se organizar bem para não perdê-lo porque é muito fácil se deixar levar pela comodidade de estar em casa e não ter “aquele” incentivo externo que o ambiente de trabalho ou de estudo fornecem. Por isso, aconselho criar um ambiente, e válvulas que reforcem o fato de que agora é hora de se produtivo e agora não.

    SUA ROTINA DO SEU JEITO!

    Se não fosse pela pandemia, tenho quase certeza que em algumas aulas ou em todas, você preferiria estar em casa assistindo a ela. Simplesmente é mais cômodo e relaxante aprender quando se está em um ambiente que lhe agrade. Além disso, fora as aulas ao vivo e atividades sincrônicas, o resto do tempo é seu e você comanda os horários e tempos gastos com seus estudos. É seu momento de agarrar as rédias da sua vida e organizar sua própria rotina, sem que a faculdade domine-a como de costume.

    PIJAMA NOVO UNIFORME ?

    Aí fica no ar. Você é Team Pijama ou Team Uniforme? O tempo dirá como eu vou me adequar…de certo, irei optar pelo conforto e o que for mais prático. Mas caso você encontre mais motivação se arrumando ( tenho isso as vezes), pois então  invista nisso. O objetivo é se sentir bem.

    INTERVALOS MAIORES

    Entre uma aula e outra, os intervalos são maiores que antes. Use isso a seu favor. Estude para a proxima aula, revise a aula vista…agora temos mais tempo para isso, e como você já está em frente ao computador, por que não né? Só não vale esquecer da aula!! kkkkkkkk Em contrapartida, com intervalos maiores, as pausas para lanchar, se alongar e até mesmo, se distrair se tornam mais frequentes, o que é muito bom. Inclusive, dá até pra tirar aquele cochilo e não perder o foco durante aula!

    BYE BYE PESSOAS TÓXICAS 

    Conviver é algo que sinto falta, mas de certas atitudes humanas não mesmo! Não que eu tenho inimizades, não tenho, ou pelo menos, procuro não fortalecer essas relações negativas na minha vida. Quando falo tóxicas, me refiro a qualquer pessoa que não lhe traz bons sorrisos e energias boas entende? A boa notícia é que a distância lhe ajuda a se desintoxicar e te mostra quem são as pessoas que somam na sua vida, essas você precisa se esforçar para manter por perto. Uma rede de apoio forte é tudo!

    Nao sei se este diário vai ser atualizado sempre, temo que não por conta da faculdade. Achei interessante criar mesmo assim, a fim de demonstrar que está todo mundo no mesmo barco e não, não é só você que passa por isso ou aquilo. Estamos juntos – mesmo não estando fisicamente. A cada dia mais, vejo o quanto é importante reforçar laços genuínos e fomentar no outro, o que queremos reforçar em nós mesmos.

    Como está sua quarentena? Previsão de quando termina? Deixem suas apostas abaixo nos comentários.

  • Corpo e Saúde

    CARTA ABERTA AO COVID-19

    Caro Covid-19,

    Sei que a gente não se conhece – ainda bem – mas já ouvi falar muito sobre você e ainda sim, parece pouco. Você além de muito mistério, é perigo. Cientistas e profissionais de saúde do mundo todo estão querendo saber mais da sua personalidade, gostos, preferências… mas eu, especialmente, gostaria de saber suas intenções.

    A televisão, o rádio, e as mídias em geral falam sobre você. A programação diária deixou de ser a violência das grandes cidades, roubos e furtos, ou mesmo, a corrupção e brigas políticas. O assunto global, é sobre você. Não quero te fazer mais importante ou muito menos, puxar sardinha para o seu lado, mas é fato, ninguém fala sobre outra coisa, a não ser sobre você.

    Na história, já ocorreram diversas amostras do poder que vírus e bactérias podem alcançar. Inúmeras vidas foram perdidas e em nome delas, e em prol das futuras gerações, curas e antídotos foram descobertos. Uns ao acaso, outros pela persistência. Aparentemente, o medo e a pressão, são combustíveis de grandes conquistas e achados humanos.

    Contudo, achava-se que a Medicina e a Saúde de maneira geral, estavam desenvolvidas, e razoavelmente, bem preparadas para conter doenças. Mas aí, apareceu você – e o sistema se mostrou debilitado para receber as suas consequências ou melhor, fraquezas pré-existentes foram duramente expostas – propiciando um cenário de contágio mundial – uma pandemia.

    Atualmente, não sei se sabe, as notícias correm muito rápido. Mas sobre velocidade, até que você entende muito bem. De dezembro de 2019, na China, especificamente, daquele mercado local, até agora, você conseguiu viajar quase que o mundo inteiro. Apreciou a vista? Milhares de pessoas sonham em conhecer a Itália, a Espanha…mas você chegou antes, destruindo as possibilidades, até então, de se explorar novos horizontes.

    O que fez você aparecer agora? Muitos o associam com o consumo de animais, outros, atribuem a sua existência as mutações aleatórias virais inevitáveis. Bem, nesse debate, eu não tenho lados. Tenho a escuta atenta para conhecer as inúmeras versões que o homem vai suspeitar. Mas no fim, queria ouvir de você : por que agora? por que a gente? por que tão devastador?

    Cansado do clima temperado e mediterrâneo, você veio para o Brasil.

    Fez crescer o consumo de produtos de higiene e proteção, sem contar a corrida pela estocagem de alimentos – adendo : em muitos lugares as prateleiras estão vazias e falta álcool em gel ou máscaras, dificultando a logística de prevenção. A pessoas terem redobrado atitudes de precaução e de higiene é natural e esperado, todavia, vale o alerta, “cuidar de si, é cuidar do outro”, principalmente, em se tratando de saúde pública. Não há saúde individual, ela sempre foi e será coletiva. Talvez seja onde mora o grande risco, pois a manutenção da saúde e medidas de prevenção pressupõe aquilo que temos medo : depender do outro.

    Ao decidir viver em comunidade, abrimos mão do Estado de Natureza, e aceitamos o peso do Contrato Social. É preciso cuidar de todos. Não deve haver objeções.

    ilustração “Fases da Quarentena” de Kalê

    Ao descobrimos que você gosta de viajar por contato direto, tosse e secreções, ( confirma? ) máscaras viraram parte da vestimenta das pessoas, álcool em gel virou nossa segunda pele e se bastasse, foi oficializada a temporada da antipatia – apertos de mãos, abraços foram abolidos, além de tolerância zero com espirros!

    Nesse ritmo, os governos ditaram estado de quarentena em vários locais. Inclusive na minha cidade. Isolamento…como nos filmes de Apocalipse, sair de casa não é uma opção, só em casos de necessidade – que incluem alimentação e medicamentos. Uma tentativa esperançosa de evitar você. De reduzir, consideravelmente, o encontro contigo. Ninguém quer te conhecer – de perto – mas sim, ao ponto de saber lidar contigo. “Não é pessoal”, é apenas coletivo. “Não é você, sou eu”, e mais todas as pessoas que importam. Então é você mesmo, pode ir (embora).

    Em suma, caminhamos juntos e ao mesmo tempo, isolados, porém, em convergência ao bem maior – a preservação do bem-estar da humanidade. O momento agora é de conscientizar a si mesmo, e todos, sobre a importância de agir com empatia e senso de coletivo…assim me despeço de você, covid-19. Não sabemos como será os próximos dias de quarentena – ou quanto tempo irá durar e muito menos como será daqui para frente. Mas de uma coisa eu tenho certeza – eu estou aprendendo muito sobre nós mesmos com esse caos.

  • Faculdade

    1/12 de um sonho concluídos

    Eu ainda não acredito que um semestre se passou e com ele, meu primeiro período de Medicina também. Foram tantas lutas para alcançar minha vaga, que ter concluído essa etapa de 12, concretiza tudo. Pois é, eu passei mesmo e daqui para frente, novos desafios estão por vir – e olha que nesse curso o que mais tem é desafio e superação – antes, durante e depois. Decidi fazer um apanhado geral de como foi organizado esse semestre, como funciona na minha faculdade e por fim, o que eu achei até aqui do curso, da metodologia ativa… se gostarem, posso ficar fazendo posts mais específicos! ( é só pedir!)

    PRIMEIRAS SEMANAS

    Hoje em dia, está bem em alta na mídia dos studygrams explicações sobre a metodologia PBL – que basicamente, consiste no ensino e aprendizado mais autônomo do estudante, retirando do professor o papel de conduzir o aprendizado nas salas de aula, cuja função agora se torna apenas auxiliar a obtenção desse conhecimento base, por meio de aulas reduzidas, invertidas e até virtuais. A ideia é que o aluno, por meio de casos clínicos semanais, tenha as ferramentas necessárias e com auxílio de um mentor, seja capaz de buscar seu próprio saber.

    Nas primeiras semanas, minha faculdade tem a tradição de organizar uma “semana do calouro” que tenta instruir o aluno sobre a rotina, aspectos humanos, apresentação da equipe docente e pedagógica e ainda, conta com diversas palestras sobre temas que convergem com a própria Medicina. Mas devo alertar que a realidade da rotina e a metodologia do curso a gente só descobre e entende mesmo na pele – vivenciando dia após dia, lidando com nossos erros e dificuldades e claro, nos motivando com nossos triunfos diários.

    PBL E AS MONITORIAS

    As aulas com professores se tornaram conferências semanais rotativas. Os horários da nossa grade , assim, são compensados pelas monitorias. Você vai ouvir muito falar disso, futuro aluno rs. Uns amam, outros nem tanto. Confesso que inicialmente eu também não gostei – porque eu ainda estava integrada no método tradicional (professor-aluno) , mas tudo é questão de se permitir adaptar-se, e aos poucos, você vai notar muitos benefícios desse arranjo. As monitorias são grupos formados pelos alunos – que passam por processos seletivos e de preparação, para estarem aptos a nos guiar e apresentar conteúdos, assim como tirar nossas dúvidas!

    Sem dúvidas, meus monitores foram parte fundamental para que eu sobrevivesse ao dia a dia da faculdade e soubesse lidar melhor com os novos conteúdos e livros para estudar. Por serem alunos como eu, só que de semestres acima, a gente se sente mais acolhido e até mesmo assuntos difíceis ganham outra conotação pois são transmitidos por pessoas que como nós, também tiveram dificuldade de aprender – e não tentam esconder isso – e conseguiram e hoje nos ajudam a estudar!

    MATÉRIAS E PREFERÊNCIAS

    Nesse período eu tive no total de cinco matérias : Biomorfo I ( dividido em três componentes – macro, micro e tutoria); Primeiros socorros; Saúde Coletiva I; Metodologia Instrumental; Saúde Mental. Como puderam ver, algumas dessas matérias ainda irão me acompanhar pois graduadas em I, II…outras, no entanto, são específicas desse período.

    Dentre elas, temos duas bem diferentonas e que de maneiras distintas, porém importantes, marcaram minha vida- saúde mental e primeiros socorros. Vamos por partes…Saúde mental se explica por si só não é mesmo? rs Medicina é um curso integral e bastante intenso. Além do montante de conteúdos e habilidades requeridos, a cobrança de excelência começa desde a graduação. Por essa razão, minha faculdade adicionou a grade curricular, sendo componente obrigatório do primeiro semestre, com intuito de nos mostrar, desde o início, que é sim possível cuidar de nós, antes de aprender a cuidar do outro. Nela, tivemos 4 módulos – meditação, arte, literatura e música, com profissionais de cada uma das áreas e que, a cada semana, nos faziam relaxar, sorrir e conhecer mais de nós mesmos. Foi muito importante e necessário.

    Já Primeiros Socorros foi um misto de amor e choro. Taí uma matéria que te modifica – para melhor – a cada semana. Vou te falar, é literalmente, uma superação atrás de superação. Você começa os treinamentos achando que nunca vai dar conta de atender o paciente em um tempo delimitado, e passadas as simulações e longos treinos e estudos, você não só consegue atender o famoso “XABCDE” ( atendimento inicial a vítimas de trauma , que segue uma ordem de prioridade de ações e condutas) como também realiza um parto de emergência! É extremamente gratificante observar minha evolução não só em termos de nota, mas principalmente como pessoa.

    PS – para os íntimos rs – é uma lição de vida. O medo inicial até de atrapalha nas primeiras situações -teste mas depois, é ele que te impulsiona a superar suas próprias limitações e inseguranças. Você aprende com as aulas, a rotina de treinos e com as experiências dos monitores e aspiras, que nada é impossível, e mais, você é capaz de fazer tudo, basta correr atrás e se dedicar. A matéria te faz ganhar resistência física e emocional, além de te conceder uma prévia do que a Medicina irá exigir. Sou extremamente grata.

    As matérias básicas como anatomia, matéria que todo estudante de Medicina comenta a respeito, vocês já estão cansados de saber né? foi super interessante e desafiador de estudar – gente, são MUITOS nomes para gravar em pouco tempo!!!! Te adianto que se você olhar bem, no nosso antebraço existem quinhentos mil músculos…rsrs!

    O que posso comentar é que de fato, estudar o corpo humano por meio do corpo humano – propriamente dito – é sensacional e gratificante. Por vezes, senti algum desconforto quando a “peça cadavélica” era mais conservada, mas ainda sim, é bem possível aprender e não esquecer que aquela vida significou muito para alguém/s e que agora, significa muito para mim.

    ESTUDOS E PLANEJAMENTO

    Esse tópico é ainda desconhecido para mim! Cada semana eu tentava encontrar um meio de estudar que mais se encaixasse com meu jeito de aprender e que fosse produtivo porque tempo é algo que você não tem! Quer dizer…você até tem, mas como são muitos assuntos acaba que se não se organizar, ele é perdido facilmente. Por isso, ano que vem vou buscar ferramentas que otimizem meu tempo de estudo e tornem mais tranquilo gerenciar os conteúdos! Aos poucos vou dividindo com vocês como estará sendo, certo?

    Até o próximo post!

  • Comportamento

    Escapando da prisão dos medos.

    Hoje sento aqui, em frente ao meu computador, para falar sobre um assunto que, especialmente, essa semana me tirou do eixo do equilíbrio…aquele controle psicológico que já conversamos em outro texto, lembra? Tão importante para nossa saúde e que, por causa de tantas inseguranças, pessoas nocivas e problemas externos, o perdemos num piscar dos olhos. Precisa vir e conversar com vocês, porque da mesma forma que fiquei confusa, muita gente pode estar passando por isso e quem sabe, podemos nos ajudar.

    Muitas vezes na vida, somos postos em ambientes e situações que, nem sempre, nos são confortáveis ou seguros. Nosso “chão” metafórico é muito frágil e qualquer novo desafio, que abale nossa zona de conforto, causa certo medo. Eu sei, passo por isso sempre. Mas assim, vejo que em grande parte, tenho muita responsabilidade sobre o problema, já que várias vezes eu apenas reclamo sobre ele e, já adianto, isso não ajuda em nada.

    A insegurança ou receio de não dar conta, não ser o suficiente ou até mesmo de não conseguir se adaptar a novidade, é um lance que precisa ser diariamente trabalhado em nosso interior. Sim, vão haver obrigações, pessoas, sistemas e habilidades…nas quais, iremos travar e talvez, não conseguir fazer. De primeira. De segunda, a vai, até de terceira e quarta vezes. Insista.

    A grande sacada é não entregar os pontos. Lembrar o quanto você é único e possui habilidades, gostos, atividades, gingados…atributos singulares que o torna alguém fora da matrix. Uma nova rotina ou novas exigências – do trabalho, da vida, da faculdade, do vestibular- assusta. Paralisa. Incomoda. Afinal, sair da zona de conforto é incômodo. é desafiador. é, na maior parte do tempo, incerto. probabilístico. tentativa e erro e sim, é complicado acreditar que algum resultado positivo vai acontecer. Acontece que, de fato, as grandes pessoas ( que vocês admiram, se inspiram…) não pararam quando o novo bateu a suas portas. Não desistiram por medo de fracassar.

    Nessa semana, descobri que duvidar de si mesmo é a pior coisa que podemos fazer. Você consigo mesmo é a melhor equipe, não se sabote. Não seja tão duro com você, porque a vida já vai ser e, bem, sabendo disso, se proteja dos outros e das suas neuras internas. Elas nos machucam e não nos projetam para lugar nenhum, pelo contrário, servem apenas para legitimar nossos medos e nos estagnar no mesmo ponto da infelicidade e comodismo.

    Não desejo uma vida pautada em medos e planos de fundo cinzentos para você ou para mim. Quero que nossos receios nos motive a crescer, aprender, inovar…sair da caixinha!! Que nossa zona de conforto seja abalada constantemente e que aos poucos, nos acostumemos com os tremores pois eles já não nos assustarão, mas sim, servirão de estímulo para vivermos aquilo que nos traga alegria, amor e frios na barriga de primeiras vezes. Porque viver é um universo de possibilidades e, nenhuma prisão é capaz de conter nossos sonhos.

  • Comportamento

    Vem cá, estou aqui.

    Eu quero um amor. Um amor que dure mais que um instante. Mais que uma noite ou dia. Quero um amor que me estremeça o chão, mas que me sirva de abrigo no terremoto dos problemas.

    Um amor que traga luz aos meus dias escuros, mas que seja sombra quando a barra da vida esquentar. Que esse amor seja leve como uma pena, embora pesado demais para voar e ser levado da minha vida, como os outros foram.

    Eu quero um amor sem armaduras, e que elas acumulem poeira porque não irei mais usá-las. Pois sei que esse amor, é o tipo de amor que a gente escuta, quase nunca vê, que a gente sonha e deseja viver.

    Um amor desses, é indizível em palavras, é sentido com o coração. Eu quero que TODOS tenham esse amor. Todo dia. Com a mesma pessoa ou não. Quero um amor que me leve pra passear, sendo o destino dar voltas em nós mesmos.

    Um amor que nasça da admiração pelo ser do outro. Um sorriso ou seu jeito de ver a vida. Que seus relacionamentos, amizades, parcerias, sejam pautadas nesse amor.

    Eu quero um amor que me adivinhe os pensamentos, pois estarei pensando nele quase sempre. Um amor que não tente competir com meus sonhos, pois no fundo, ele sabe que vou dormir imaginando o nosso futuro. Vem cá, estou aqui, amor. Na verdade, sempre estive. Você sabe.

    Eu sou você, seu maior e mais lindo amor. Que se faz casa a todo momento. Que te ouve chorar, sorrir e gritar. Que passou por tudo ao seu lado. E aos trancos e barrancos, é o mesmo com você. Sem máscaras e mentiras. No cru. No nu. No nós.

    Nós somos um. Sou teu corpo e tua alma. Teu eu mais profundo. Sou teu amor, eu sou você.

    Obrigada por ser meu, por ser quem é, por ser você, por seu tão EU. Feito aos dedos do Criador, fomos entregues ao outro, corpo e essência…Puxa vida, obrigada por cuidar de mim tão bem até hoje.

    Dedicado ao meu eu interior.

  • Comportamento

    goles de imortalidade diária

    o cinema assim como a arte, de alguma forma, nos conduziu a pensar um mundo onde a imortalidade existisse e nos fosse acessível. Como sabemos – até o atual momento – somete os vampiros a possuem. vamos lidando. Bem, hoje assistindo ao filme “Vivendo na Eternidade” fui compelida a indagar algumas convicções e talvez, optar por outras. Afinal, se a fonte da juventude de fato fosse real e , nesse caso, você pudesse nela mergulhar, o faria?

    O filme , assim como em “A Incrível História de Adelaine”, traz para nós os dois lados da moeda da vida imortal. é interessante pensar além dos benefícios – muitas vezes, relacionados ao aspecto físico ou medo da morte. Ter uma visão mais holística do panorama existencial, nos demonstra que, realmente, nem tudo que parece ser bom, de fato é, e sim, isso se aplica a imortalidade.

    Imagem relacionada
    Google Imagem

    Winnie Foster vive presa ao conservadorismo dos pais e de uma sociedade antiga e tradicional. Infelizmente, a realidade de Winnie se assemelha a de todo nós. Independente do contexto, vivemos sob paradigmas norteadores de nossos sonhos e vontades. Certa vez, perdida no bosque, ela se depara com um jovem rapaz, Jessie Tuck. Sem saber, ela acaba se envolvendo com a família Tuck, cujo o tempo, para eles, não passa naturalmente.

    O enredo me motivou a vir aqui, pois a mensagem que fica, na minha visão obviamente, é a de que a imortalidade torna-se uma escolha para a inocente Winnie que se apaixona por Jessie e pela chance de viver na eternidade com esse grande amor… pego-me no dilema, o que eu teria escolhido? Não direi o que ela decide, mas de qualquer maneira, fez-me refletir.

    Optar por ser imortal talvez seja o caminho mais fácil. Evitaria a morte certeira e os charmes da juventude permaneceriam. Dores não seriam evitadas e a solidão seria eminente. Todos se vão, você ficaria.

    Resultado de imagem para vivendo na eternidade
    Google Imagem

    “Não tema a morte, tema uma vida não vivida”. A roda da vida, como sabemos, tem seu início e fim. Viver é a travessia que liga os dois pontos. Para alguns, o ponto final tarda a aparecer, mas sempre vem. O conhecimento do fim, nos motiva a viver o presente e assim, valorizar o instante se torna fundamental. Não deseje possuir o “para sempre”, quando, na verdade, a finitude dos acontecimentos que incrementa cada dia já não é vista por você. Seria a eternidade de mesmices sem fim. Torturante! Foca em viver o agora… porque aí sim é a parte difícil, afinal, nos damos conta de não são quantos dias teremos, mas sim, como foi que os aproveitamos.

    Que tal dar uma chance para o seu hoje? Pense e depois me fala. Gostaria de conhecer o seu ponto de vista. Sem julgamentos.

  • Colégio,  Comportamento

    Seja o que for, venha o que vier.

    E se caso for
    Eu posso esperar
    A chuva passar
    Pra tudo recomeçar


    Bilhetes,Tiago Iorc.

    Estive muito ausente aqui no blog devido as prioridades do estudo. Como sabiam, eu estava no cursinho me preparando para os vestibulares, principalmente, o ENEM. Nesse post de retorno, decidi contar um pouquinho da minha trajetória, para que assim, quem sabe, possa de alguma maneira, ajudar alguém aí do outro lado.

    Quando escolhi prestar Medicina, eu ainda era muito pequena e nem sonhava com o que aquela escolha me reservava. Hoje, entendo que ao optar por um curso concorrido, tive que abdicar de muita coisa e que essa escolha exigiu de mim empenho e muita resiliência.

    Eu gostaria de dizer que sempre acreditei em mim e no meu potencial, mas não seria verdade. Não é fácil perder e se decepcionar com os resultados negativos do vestibular. Entender que você se esforçou mas não foi o suficiente é muito frustrante.

    Para minha sorte, tive pessoas ao meu lado durante a caminhada que me elevavam emocionalmente e que, sempre que podiam, carregavam-me no colo. Sei que cada pessoa é singular e, desse modo, terá uma experiência única sobre o período de vestibular, mas o que eu posso dizer é que agregar pessoas e energias positivas no processo é a chave para conseguir transpor vários desafios na rotina.

    Nesse um ano e meio de estudos focados, tive que correr atrás de alguns prejuízos, aprimorar alguns conhecimentos e principalmente, conhecer quem eu era como estudante. Em meio a tantas derrotas, a Karen pequenininha que um dia falou aos pais que queria ser médica – aonde é que ela estava? Tinha se perdido. Nesses últimos seis meses, tentei reencontrá-la.

    Mais uma vez, para minha sorte, ela estava em mim, esse tempo todo, querendo ser resgatada. E, em um vestibular de Medicina, no meio do ano, essa garotinha resolveu aparecer. Nós nos demos as mãos e entramos juntas na prova. Que dupla!

    Bem, eu sempre acreditei que tudo tem a hora e momento certos para acontecer e, nesse vestibular tudo parecia está certo sabe? Eu tinha me encontrado e as coisas estavam fluindo bem. Mas confesso que, durante a caminhada, por vezes desejei controlar a ordem das coisas e adiantar minha aprovação ou mesmo, moldá-la às minhas preferências. Quem nunca não é mesmo? Ouvi dizer que Deus sorrir ao ver o homem fazer planos, afinal, quem somos nós e o que são nossos desejos diante da vontade Dele? Esperar Nele é sempre melhor.

    Comecei esse texto com um trecho de uma música que é muito especial, pois ela marcou, praticamente, todos os dias de preparação desse ano.

    Quantas vezes eu já chorei ouvindo os versos dessa canção e me pegava perguntando e se caso for ( de não passar de novo) , eu posso esperar?? Eu conseguiria esperar meu sonho por quanto tempo? Me recordo que, assim que a canção terminava, eu estava em paz com minha batalha diária e sabia lá no fundo que, como na letra, eu esperaria a chuva passar, para assim, recomeçar, e sim, “e se caso for, eu posso esperar.”

    Para você, leitor, que chegou até aqui, pois bem, eu acabei passando nesse vestibular. Soube durante um almoço por minhas amigas que correram para me dar a notícia, e mesmo agora, ainda não caiu a ficha.

    Sabe, “às vezes não tem outro jeito, o jeito é seguir” e arriscar, pois a escalada é árdua ( e quem tenta, sabe quão difícil ela se torna) mas a vista, a essa vista, meus amigos, é espetacular.

    Espero do fundo do meu coração, que se você escolher subir também, que alcance o topo o quanto antes e assim como eu, a veja. O lema do meu blog não é à toa, a vida é e sempre será, um universo de possibilidades. Creia. Tudo vai dar certo.

  • Séries e Televisão

    Eu indico : Riverdale

    Hey galerouss!

    Ano passado nas minhas andanças pelo Netflix, dando uma atualizada nas séries e analisando minhas escolhas, caí em Riverdale. Olha que não sou muito fã de séries, pois curto bem mais assistir um filme e saber logo qual é o final, quem fica com quem, quem morre…, sabe o que eu to falando né? Mas fiquei encantada logo de cara! Talvez ( sim, foi) a culpa tenha sido do Cole Sprouse, que no show* interpreta o misterioso e valente, Jughead.

    Ele e seu irmão, Dylan Sprouse faziam o programa da Disney Channel “Zack e Cody, Gêmeos em Ação” e desde lá, gosto e admiro muito o trabalho dele e por isso, meus olhos brilharam quando, novamente, pude vê-lo nas telinhas!

    A série se passa na cidade de Riverdale, sim, o mesmo nome da série e, ela reserva vários mistérios, gangues, mafiosos, jogos e “reis” …Composta por Archie, Betty, Jug, Veronica, Cheryl e tantos outros personagens. De forma gradual, o enredo consegue explorar a história e os dilemas de cada um, causando, inevitavelmente, uma identificação e carinho com eles. É válido salientar que foi inspirada nos quadrinhos da Archie Comics e muito da série vem dessa referência.

    O elenco já está lançando a terceira temporada, que ainda não chegou na Netflix, mas espero que em breve! Tentarei a seguir resumir, sob meu ponto de vista, cada temporada (PODE CONTER SPOILERS), vamos lá?

    Resultado de imagem para riverdale season 1

    1 TEMPORADA : Os personagens são apresentados sob uma circunstância trágica e cheia de indagações : um suposto afogamento do irmão da Cheryl; Este consegue desencadear uma série de suspeitos e investigações, as quais, Betty e Jughead, se unem para desvendar, acabando, sem querer, encontrando entre eles um sentimento diferente! Veronica, recém chegada na cidade conquista a amizade e se junta a trupe, tornando-se no decorrer das cenas, uma importante aliada nos desafios que aparecem…

    EPS FAVORITOS: 06x01 e 08x01 e 13x01

    Resultado de imagem para riverdale season 1

    2 TEMPORADA : Betty e Jug começam a namorar e deixo claro que amo esse casal ( fake e real) demais da conta! Verônica e Archie também se envolvem e sim, é muito casal na série! As coisas começam a apertar em Riverdale. Um assassino em série atormenta a cidade e chantageia a Betty de várias formas. Cheryl está perdida dentro dos seus dilemas e resolve pôr um fim em seu sofrimento. Os amigos mais do que nunca são postos a prova e, mesmo sofrendo vários abalos, a amizade prevalece! Ahh, em um dos episódios, a escola organiza um musical e é super divertido assistir os personagens de forma tão espontânea e diferente!

    EPS FAVORITOS: 12x02 e 22x02

    A segunda temporada termina de maneira muito surpreendente e devo confessar que não vejo a hora de assistir os novos episódios e matar a minha curiosidade sobre o desfecho de muitas histórias e mistérios ainda não respondidos…

    Você já assiste Riverdale? O que acha da série? Comenta aqui em baixo para eu ficar sabendo!

  • Comportamento

    REPUTATION minha, sua e da Taylor Swift

    Queridos leitores,

    Pelo título já deu para perceber que no texto de hoje iremos conversar sobre os efeitos de fofocas, mentiras e claro, como essas coisas afetam nossa reputação. Afinal, o que eu, você e a Taylor Swift temos em comum?

    Nos últimos dias de 2018 a minha diva Taylor publicou, juntamente com a plataforma monopolizadora de entretenimento de todos os tempo, a Netflix, um de seus shows da turnê do álbum Reputation.

    E, o tema dessa turnê me inspirou a escrever, já que ela é constantemente bombardeada de críticas e julgamentos sobre sua vida ( amorosa, profissional, amigos e claro, de inimigos), por que tantas pessoas tem a necessidade de falar mal dos outros? SEGURA!

    Noto que a vida alheia é assunto comum na boca de muita gente. Com certeza você conhece uma roda de amigos que adora jogar na discussão a vida de fulano, ein? Inúmeras fofocas circulam pelos seus ouvidos, fatos que são repetidos como se fossem a verdade e…bem, se você não conhece, de duas uma : você seja um deles ou melhor, você tem outros assuntos mais legais ( e saudáveis) para tratar!

    Prefiro acreditar que vocês, meu leitores, fazem parte do último grupo. Porque, convenhamos, assim como as músicas da Taylor abordam o quão incômodo é está rodeada de falsas notícias, nós, em nosso ciclo infinitamente menor do que o dela, sabemos, da mesma maneira, o que é ser alvo de fofocas e mentiras. E, quando estamos desse lado, sofremos as consequências de uma má ( porém, infundada, reputação).

    Penso que cada um de nós se esforça para ser bom. Sei o quanto nos dedicamos para fazer a coisa certa, falar de maneira clara, ajudar nossos amigos, ser simpático ( quase sempre), e sim, ser honesto. Mas, infelizmente, isso de nada importa nas mãos de quem planta intrigas e falações.

    A verdade é que TUDO gera algum comentário, TUDO mesmo, então, se serve de dica, antes de agir, pense em você e não na opinião alheia, porque, inevitavelmente, você vai agradar gregos e não os troianos. Por isso, faça o que te faz feliz e priorize seu bem-estar, porque uma vida baseada em uma reputação é vazia, quando se pode ser bem mais que rótulos, elogios e mentiras.

    É por isso, e outras razões, que recomendo as novas músicas da Taylor Swift, não apenas como lazer, mas também como uma ajuda. Afinal, não basta construir uma reputação, se acima de tudo, não aprender a se blindar das fofocas externas, porque sua toxidade pode matar aquilo de mais lindo dentro de nós – nossos sentimentos genuínos.

    Portanto, termino dizendo que se as pessoas, as quais você quer se relacionar, confiam mais em mentiras e no que os outros tem a falar sobre você, e não sobre o que VOCÊ tem a mostrar para eles…então, saiba que SÃO ELES que perdem, não você.

  • Comportamento

    Metas 2019 e outras ideias

    Queridos leitores,

    Bem-vindos ao novo ano que se inicia! 2019 vem recheado de coisa boas para mim e, obviamente, para vocês! Amém!

    Todavia, como já sabem, parto do princípio de que o ano não vai ser novo se continuarmos sendo os mesmos (veja mais sobre isso).

    Dessa maneira, para que tenhamos resultados, precisamos olhar para dentro de nós mesmos e, diante das metas e sonhos pensados, buscar cada dia realizá-los e, claro, não desistir na primeira queda, porque, inevitavelmente, quando se almeja alto, a trajetória se torna mais difícil, mas nunca, nunca, impossível.

    Estava pensando nas minhas metas e, dei-me conta de que, mesmo sendo uma prática bem clichê, acho válido organizar algumas ações que têm a chance de nos guiar para uma melhor e, mais aprimorada, versão de nós mesmos. Portanto, afim de inspirar vocês a correr atrás de um ano incrível, eu venho hoje dividir algumas das minhas metas:

    Cuidar mais de mim.

    Acho que essa tenha que ser a meta mais importante de todas. Sério! Temos que aprender a cuidar da nossa pessoa interior com mais amor e atenção e, muitas vezes, deixamos ela em segundo plano, colhendo, assim, muitas neuras…

    Iniciar o hábito de leitura mensal.

    Eu até que tentei ano passado seguir com essa ideia, mas acabou que as leituras obrigatórias para o vestibular me lotaram. Acredito que um bom livro nos acrescenta tanto, de diversas formas e dimensões, que escolher evitá-los é não se permitir viajar nesse baita universo de possibilidades literárias!!

    Me dedicar ao blog com mais afinco.

    O ano já começou bem! Tentei dar uma cara nova para o blog, não sei se notaram…Mudo sempre, mas acho que dessa vez esse layout vai ficar! Mas obviamente, a meta não se resume em “arrumação”, mas sim, em postagens mais frequentes! Tentarei manter aqui mais atualizado.

    Dirigir mais.

    Eita Jesus! Vamos a essa meta bem NOVA na minha vida. Eu comecei a dirigir tem pouco tempo e, devo confessar, dá um frio na barriga toda vez! Todavia, sei o quanto é necessário e útil saber manobrar um volante e torço para que esse ano eu esteja nas ruas, não mais como uma pedestre apenas, mas também como uma BOA motorista!

    Aprender novas receitas.

    Adoro me aventurar na cozinha…lavar os pratos que é outra história…sabem como é. Pretendo esse ano aprender novas receitas porque é sempre bom mudar o cardápio e descobrir outras misturebas a la Ratatouille!

    Notem que não são metas específicas, mas sim, bem amplas. Isso porque dentro de cada uma, outras “mini metas” estão. Por exemplo, em cuidar de mim, entra me alimentar melhor, porque ano passado foi bem trágico kkkkk como também voltar a praticar algum exercício, entenderam?

    Ademais, quero lembrar a vocês que, ao criarem suas metas, não limitem as potencialidades e imprevistos que podem ocorrer, pois a vida é orgânica e os planos nem sempre saem como planejado…e olha? TA TUDO BEM!

    Espero cumprir com essas e outras metas que forem surgindo…mas e aí, quais são as suas metas para 2019 ein?

    Beijos floridos!

  • Comportamento

    Pedalando contra os medos

    Queridos leitores,

    Estava morrendo de saudade de sentar em frente a tela desse computador e liberar o turbilhão de ideias e pensamentos que eu tenho. Acontece que, nem sempre fazemos o que queremos. Nem tudo sai de acordo com o planejado. E está tudo bem. Sim, fazer planos é muito bom, mas saber lidar com os imprevistos é tão importante quanto. Aprendi isso esse ano e, digo mais, as curvas são mais desafiadoras, ao passo que, ao exigirem de nós mais equilíbrio e habilidade, nos tornam mais fortes e preparados para encarar o caminho mais a frente. Bem, à proporção que ler, você irá perceber que a vida, como já diria Albert Einstein, “é como andar de bicicleta. Para se manter em equilíbrio, é preciso se manter em movimento” e nessa metáfora eu continuo…como é bom voltar a blogar!

    Você já se desafiou hoje? Eu não sei bem que horas são aí do seu lado quando me ler, mas o que sei é que se nesse dia você não saiu da zona de conforto, foi um dia “mais ou menos” ps: ainda tem tempo de mudá-lo! Uma vez ouvi falar que devemos buscar nossa estabilidade, seja ela qual for, financeira, pessoal, emocional…Bem, eu entendo, mas a vida é um universo de possibilidades e, se pensarmos mais a fundo a respeito, veremos que viver almejando um ideal de constância é até meio bobo, diante das inúmeras variantes que estão a nosso redor. Compreendam-me, eu também quero me firmar nesse mundo, mas ao mesmo tempo, quero conseguir enxergar além dos meus horizontes e mais, está disposta a enfrentar o que eu ainda desconheço da vida. É por isso que resolvi andar de bicicleta.

    Parece até brincadeira, mas sim, pedalar é uma terapia. Mas não digo em termos de relaxamento ou qualquer outro benefício relacionado à saúde que vier a sua mente, digo em autoconhecimento. Pois é, caro leitor, pedalar é muito mais que se equilibrar sobre duas rodas, significa controlar a sua vida. Em cima da bicicleta, você tem o controle da direção que quer seguir e, na vida, é a mesma coisa. Nós temos a capacidade de escolher como queremos viver e, muitas vezes, não percebemos essa liderança. Na maioria das vezes, permitimos que outras pessoas ou ações externas nos guiem e, sem querer ser pessimista, porém, ninguém terá tanto cuidado com você do que você mesmo. Desse modo, subir na bicicleta tem me lembrando todo dia que eu sou um ser em formação e, pasmem, acho que sempre serei.

    Toda vez que algo é novo ou desconhecido, fico com medo. Medo de não conseguir ou pior, de desistir. Infelizmente, o medo barra, mas também, pode  impulsionar. Tenho aprendido que meus medos também fazem parte de quem eu sou e, conhecê-los e não negá-los é a melhor maneira de ser verdadeira comigo mesma e, assim, conseguir, aos poucos, aprimorar-me. Confesso que ainda caio e não sei frear muito bem, mas continuo a pedalar e vejo que só tem um jeito de aprender e vencer nessa vida, continuando. Insistindo. Buscando. Eu posso ter medo, porque cair nunca é bom, mas sabe, no chão descobrimos quem somos e, também, melhor que tudo isso, descobrimos, levantando e subindo na bicicleta de novo, quem queremos ser.

     

    Quem você quer ser hoje ?

    Karen Letícia

     

     

  • Comportamento,  Corpo e Saúde

    Ponto de equilíbrio – vamos buscá-lo?

    Hey galerous!

    Muito se comenta sobre como devemos viver para conseguir alcançar o equilíbrio. Todavia, muitos acabam por buscar o limiar balanço “ideal” no mundo contemporâneo de equilíbrio…e vamos concluir que o TER em detrimento do SER é o que mais a sociedade valoriza e busca alcançar. Nesse sentido, nota-se que a noção de harmonia do ser humano permeia o materialismo e autorrealização, deixando de lado o eu interior, a alma, a mente.

    O mercado de trabalho tornou-se um verdade Coliseu romano ( com feras bem piores) e que demanda muito esforço e desgaste para se inserir nele, como também para manter-se no seu posto. |aplica-se a escola, concursos gerais, firmas, comércio, etc| Conclui-se, portanto, que chegar ao topo, significa inevitavelmente, abrir mão da sua saúde, felicidade e claro, do equilíbrio que antes ( um dia) regia o sistema interno do seu ser.

    É por essa razão que hoje venho propor uma reflexão sobre como anda nossas prioridades e top 5 em nossas vidas. Afinal, será que vivemos em equilíbrio?

    Acredito que grande parte de vocês depois de pensar um pouco vão chegar ao consenso de que fazem muito mais aquilo que os tiram do eixo, do que aquilo que realmente os fazem bem. E sim, o dia a dia de quem trabalha ou estuda, de fato requer a realização de funções burocráticas/necessárias e que nem sempre são as melhores opções do mundo! Mas aí que mora o perigo! Até onde fazer o ‘correto’ é o mais correto?

    Neste compasso, caminha o nosso equilíbrio. O ‘até onde’ não pode pisotear a harmonia e bem estar do seu corpo e mente. Estudar é necessário, mas em excesso, acarreta danos ao individuo de inúmeras maneiras, até porque cultivar relacionamentos e boas noites de sono também tem sua importância. Trabalhar demais é as vezes uma obrigação, mas saber o seu limite e separar um tempo para a família e pets é tão dever quanto!

    Não estou julgando condutas e atitudes de ninguém, pois cada um sabe a rotina que tem e as razões por trás dessa vida agitada e estressante (em sua maioria). Meu papel aqui é simplesmente gerar debate e jogar a questão na mesa! Eu mesma muitas vezes me pego pensando sobre minha rotina e obrigações diárias e como elas afetam significativamente minha energia, meu sono, alimentação, humor, etc;

    Tudo está interligado. Por isso, priorizar o nosso bem estar sempre deve ser nossa principal meta, mesmo que isso custe a louça esperar um pouco mais de tempo para ser limpa ou a matéria acumulada permaneça intacta na bancada.

    Primeiro vem você, para que as funções externas que você precisa desempenhar sejam realizadas com qualidade, e devo avisar que as obrigações fluem muito melhor, e a produtividade aumenta bem mais quando se está feliz por dentro! Espero que a partir desse texto, você se motive a cuidar de si mesmo e colha bons resultados dessa atitude.

    Um beijo florido, Karen Letícia.

     

  • Colégio,  Comportamento

    meu terceiro ano – dicas, desabafos e gratidão!

    Hey galerous!

    Como prometido desde o ano passado, eu iria dividir aqui no blog com vocês a minha experiência pessoal durante o último ano do ensino médio! Lembrando ( que nem as youtubers hihi) que em 2017 eu compartilhei minhas expectativas (clica aqui) e realidades (clica aqui) sobre o terceirão, e vale a pena conferir, até mesmo antes de ler este post agora. Acontece que estava devendo esse resumão da vida escolar, mas só agora me senti pronta para expor e falar a respeito. Espero que compreendam a demora.

    Como falei aqui, começar este ano não foi uma tarefa fácil. Sem rumo e perspectivas de futuro, o ano de 2018 começou confuso; Agora, ele está tomando as diretrizes que compete a vida lidar, e eu vou seguindo o baile nesse ritmo agitado e frenético de ser uma vestibulanda. Sem mais delongas, simbora pro textão!


    Primeiramente ( afinal, tudo se começa assim, com o primeiro passo), euzinha sempre esperei com alegria o terceiro ano do ensino médio. Os filmes sempre ajudaram nesse pensamento iludido e bem alienado, confesso. Hoje, depois de ter encerrado a vida no colégio, posso te garantir que você não deve querer  apressar nada, muito menos o ano final da escola. Cada fase é única, e PRECISA ser vivida intensamente. Ponto.

    As cobranças apertam mais, de tudo quanto é lado surgem questionamentos : seus, deles, nossos, até do papagaio. Pressão e inseguranças caminham ao seu lado, mesmo que você não as carregue dentro de si ( o que na minha opinião, é o mais inteligente a se fazer); a carga horária realmente é puxada como dizem, mas quando se tem essa rotina, você acaba se acostumando e nem percebe o quanto de tempo da sua semana você está passando ( ou melhor, vivendo/existindo/sobrevivendo/tá parei) no colégio.

    No meu caso, lembrando que tudo aqui é descrito unicamente na minha visão, tive que aprender a lidar na marra com colegas estressados e pilhados com vestibular e que infelizmente estavam lá para disseminar o estresse e loucura para os demais; por favor, não sejam essas pessoas; outras professores porém, talvez até pior, faziam questão de destacar alguns cursos/conteúdos em detrimento de outros, o que na minha opinião é uma grande furada, e só gera conflitos internos entre os alunos. Além claro, de problemas e transtornos externos que dia após dia, deixavam a rotina mais hard, e se eu posso te dar um conselho bom é : tente levar tudo com leveza, caso contrário, o ambiente pode ser tóxico demais.

    AINDA BEM que algumas pessoas/situações são rosas (eu tentando ser fofa com o ditado popular). Tive a benção de conviver com pessoas incríveis de maravilhosas, que me puxavam sempre com suas palavras, gestos e olhares, do piloto automático. Tive professores (team do coração que posso contar no dedo) que foram além de profissionais decentes e comprometidos, eram meus mentores de vida e alma! Porque vamos combinar que o colégio é só uma parte fundamental de um ecossistema muito maior, e entender que há um propósito em aprender e absorver conhecimento, e  nos lembrar que somos capazes de correr atrás dos nossos sonhos é muito motivador!  Obrigada.

    Sobre as amizades, bem, tenho que adiantar a vocês que nessa reta final de colégio, só os bons permanecem. Para muitas pessoas, o universo de vestibular é uma eterna competição. Infelizmente para essas pessoas, o colega/amigo do lado sempre será um concorrente, e fica difícil desenvolver qualquer vínculo maior de interação que um simples convívio em sala. Pior ainda se vocês almejam a mesma faculdade ou curso. Por isso, aconselho a não ligar muito para os olheiros e sugadores de plantão, coitados, o desespero transforma as pessoas. Ofereça ajuda, uma palavra de afeto, vai fazer um bem danado a ambos. E mais uma vez, não ligue para isso, o que é para ser seu é seu e fulano não tem esse “poder” todo não!

    Aprendi no terceiro ano que o que plantamos, nós colhemos, e isso não só é visto na aprovação não. Cada dificuldade vencida, rendimento aprimorado, saúde mental sobre controle, etc, são conquistas e aprendizados que os números e pontuações de provas ocultam, e euzinha aqui quero exaltar! O terceirão é um ano de amadurecimento para a vida, e não acaba quando o ano termina, se leva consigo para sempre. Por isso, se você que está me lendo está começando seu último ano do colégio, saiba priorizar seu coração e bem estar, pois estes bem encaminhados, os estudos terão consistência!

    Note que não adentrei muito em rotina de estudos ou algo do tipo, afinal o foco realmente foi dividir com vocês o que esteve por trás de um ano de muito esforço e dedicação de uma aluna/produtora de conteúdo que vos escreve nesse momento ( pena que não no seu momento de leitura hihi mas o que vale é o efeito desta ideia na minha cabecinha de escritora) que passou por essas experiências e adquiriu bagagem para trilhar voos mais altos neste ano. Tudo é aprendizado, entendam isso. Eu estou tentando entender e sabe de uma coisa? É fortalecedor.

    Espero que tenham gostado desse resumão de sentimentos e que levem algo de bom para a vida de vocês disso tudo. Um beijo florido e até o próximo post!

    SOBRE O QUE VOCÊ GOSTARIA DE LER?

    ( deixe nos comentários para eu ficar por dentro)

     

     

     

     

     

  • Comportamento

    a vida é um universo de possibilidades

    HEY GALEROUS! Espero que gostem desse post, e o leiam ouvindo esta canção!

    A vida – mesmo com apenas dezoito anos – já me mostrou que é imprevisível, e que ora traz consigo alegrias, outrora tristezas. Eu a cada dia aprendo que as situações nos testam e que cabe a nós mesmos reagir a elas da melhor forma que conseguimos. O que faz de nós sermos fortes, não são as vitórias, mas sim, como lidamos com nossas derrotas externas e internas. Digo mais, para tirar um sorriso de alguém, não basta muito. Para levantar depois de uma queda, tem lá seus graus de complexidade, convenhamos.

    A vida – com toda sua simplicidade – a cada dia nos revela o que mais importa ( de verdade), e só os tolos vão deixar de perceber que são os pequenos momentos que realmente valem a pena. As conquistas vem, sempre vem, só precisamos entender que elas vem a seu tempo. Sem pressa ou condição, apenas em sua total e completa perfeição quando for o momento ideal. Não lhes digo que eu mesma compreendo tudo isso, afinal, tamanha magnitude é para ser vivida durante uma vida toda, e não ser constatada em plena quarta-feira de uma semana ordinária.

    A vida – por mais incerta que possa parecer – é de uma genialidade tremenda. Tudo é mutável, e passível de términos e começos. Amanhã as coisas pode ser diferentes do que representam ou são hoje, e nós também. A vida é imortal, e o tempo torna-se uma ferramenta irrelevante quando comparada ao quão grandes são os planos e possibilidades que ainda estão por vir.

    A vida – não acaba amanhã – ela se inicia toda vez que abrimos nossos olhos para um novo dia. Desejo ser forte para enfrentar os desafios e surpresas que a minha vida me reserva. Espero que você também. No mais, faz-se necessário atentar-se para aqueles que estão ao nosso lado verdadeiramente, pois a trajetória se torna menos dura e mais feliz quando se está acompanhado. Hoje, o amor convém, e me atrevo a dizer, sempre. Portanto, seja para rir ou chorar, lutar ou pular, vibrar ou silenciar, seja o que for, apenas seja.

    Porque a vida –  é um universo de possibilidades (e é preciso está aberto para elas) .

    Karen Letícia

     

Pular para a barra de ferramentas