Comportamento

Pensei. Ops, falei! #7 – Família é amor!

Queridos leitores,

                      *song sugerida : The Power of Love – Gabrielle Aplin

Trouxe hoje para o blog um tema muito amorzinho! Para mim, minha família representa a base de tudo, e as pessoas que a compõe são as que mais amo nesse mundo! Bora começar?

—– —–

Família é parte essencial na formação do indivíduo. É por meio do núcleo familiar que são transmitidos valores e princípios; costumes e tradições, além de proporcionar um lar de carinho e respeito para o desenvolvimento saudável deste ser. Segundo o ECA ( Estatuto da criança e do adolescente) é inerente ao jovem o  direito de ter uma família.

Nesse sentido, nota-se que o conceito de família não está associado a estrutura na qual ela é feita. Independe como o grau de parentesco, ou de gênero, organiza esses membros, mas sim, se a conjuntura final consegue abarcar essa criança da melhor maneira possível. Entretanto, persiste em meio a sociedade o esteriótipo da “família tradicional brasileira” que define socialmente que família é somente aquela formada por pai e mãe.

Em pleno século XXI, pouco se evoluiu em termos de mentalidade e aceitação. Pois é fato que hoje já existem outros arranjos familiares, e que constitucionalmente já são legalizados.  A intolerância é explícita àqueles que fogem aos padrões estabelecidos pelas classes dominantes. Estes, ficam  a mercê de sofrer repressões, violência física e verbal, além de diversas retaliações. as quais de modo geral, denigrem a dignidade do indivíduo.

Processed with VSCO with p5 preset

Em contra partida, políticas vem sendo criadas para amenizar a problemática em questão, demonstrando em parte, um avanço dos governantes quanto ao bem estar da população. A exemplo dessa postura, temos desde 2013 a permissão de casamentos entre pessoas do mesmo sexo nos cartórios.

A mídia, por meio de matérias, artigos, novelas, etc.,  tenta influir a ideia de normalidade desses novos modelos de família no cotidiano. Deve-se chamar atenção de valores, como o respeito as diferenças e a “aceitação do novo”, os quais a sociedade carece.

Nesse diapasão,  o que realmente importa  é a felicidade da criança. Esta, tem uma vida inteira pela frente, e necessita de pessoas engajadas em fomentar o seu desenvolvimento. Por meio de uma educação de qualidade que vise o bem, e que valorize sempre a sobreposição  da integridade do indivíduo a padrões, dogmas ou tradições, para então conseguir sintetizar que família é somente e simplesmente : amor.

Beijos floridos,

Karen Letícia.

Sou a Karen Letícia e, sim, Coral não tem ligação com meu nome! Desde 2013 tenho este blog para dividir meus pensamentos com vocês e tentar mostrar que a vida é um universo de possibilidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pular para a barra de ferramentas